17.6.17

não consegui pedir mais do que um sumo de melancia e uma daquelas taças misturadas de gelatina, fruta e iogurte natural. vais ter fome só com isso, grunhia a vozinha dentro da cabeça, sentido o cheiro da carne grelhada. impossível!, respondi-lhe com firmeza, sabendo da falta de força para mastigar. e por ali fiquei, sentada numa sala fresca do centro da cidade, à espera que o rapaz simpático me lavasse o automóvel e a livraria se movesse milagrosamente até mim.

18 comentários:

  1. Acabei de ser servida de uma salada, composta por alface (não mais que duas pequenas folhas cortadas em juliana), meio queijo fresco e cerca de seis quartos de rodela (que a minha matemática me diz serem três meios) de tomate, que me levou meia-hora a chegar à mesa e que digeri antes de ela chegar. Quando perguntei o motivo da demora, responderam-me que o rapaz que está na cozinha é estagiário e é deficiente. Aconselharam-me a fazer uma exposição escrita à direcção do hotel.
    A fome que passarei, amargá-la-ei num doce silêncio.
    :)

    ResponderEliminar
  2. O calor permite-nos essa total falta de capacidade para nos movermos, nem que seja para articular palavras ou mastigar...
    Hoje, fiquei-me pela semi-escuridão, a gelatina e a água gelada. Confesso-me pecadora, dessas para quem a gula é tentação. Hoje, livrei-me do mal!

    Beijos, flor mailinda :)

    ResponderEliminar
  3. Aproveito esta caixinha para avisar que de acordo com o meu calendário a aranha Milu acaba as aulas na próxima semana. Fico à espera que a envies para as férias de verão. Não me obrigues a mandar o Andhriminirh buscá-la!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. selvagens! tu e esse estrangeiro sem documentos!

      a milu decidirá se quer (OU NÃO) passar férias nesse cacilheiro ferrugento.

      Eliminar
    2. A Milu é uma pirata.
      Responderá ao apelo dos mares, das espadas, da pólvora, do perigo, das festas no lounge da piscina...

      Eliminar
    3. calculo quanta emoção, a terceira idade toda a jogar às cartas no cruzeiro das purpurinas, enquanto o estrangeiro lhes cozinha as papas de milho...

      Eliminar
    4. vamos iniciar uma guerra?
      preciso tanto...

      Eliminar
    5. Vamos! Já estou a reunir os presidiários no convés e a mandar arear os sabres! Lutamos uma contra a outra ou arranjamos uma terceira vítima?

      Eliminar
    6. raios te partam! não pode a gente ir comer uma sopinha à cozinha e quando chega tem já o exercito inimigo todo na varanda...

      achas que arranjamos alguém para lutar contra nós a estas horas?

      Eliminar
    7. Isso é uma declaração de guerra?
      Que conste das actas que fiz os possíveis pela paz!
      (Anda, Adhrminir, acorda, vamos buscar a aranha!)

      Eliminar
    8. ei! calminha lá com o guedelhudo!

      connosco já não tem piada, eu já sei para que lado inclinas o sabre, tu já sabes com que mão disparo o mosquete, já é mais do mesmo...

      vamos atacar alguém diferente

      Eliminar
    9. Eu não sou de intrigas, mas acho que a Palmier nos insultou...

      Eliminar
    10. já andava desconfiada, sabes? ninguém lhe põe a vista em cima, escondida em parte incerta... ocorreu-me logo que nos teria insultado, agora que tem a mania que é artista...

      Eliminar
    11. Sim, sim. E os artistas enervam-nos certo?
      Diria até que nos anda a provocar...

      Eliminar
    12. e de que maneira! aquilo é tudo uma cambada de drogados e sifilíticos!

      acho mesmo arrogante a forma "desumilde" como vem mostrar aqueles bocados de napron pintados com as aguarelas dos filhos.

      Eliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.